Mulher Aspirina


A tuberculose e seu romantismo
março 20, 2010, 3:07 pm
Filed under: Enfermagem, Medicina
A tuberculose (TB) pulmonar é uma doença infecciosa tão antiga quanto à própria história da civilização. É uma doença milenar e um grave problema de saúde pública com repercussão mundial, principalmente nos países em desenvolvimento, como é o caso do nosso Brasil. A TB encontra-se dissertada em referências sagradas, em obras da filosofia, história, ciência, direito romano e das poesias. Nem mesmo Florence Nightingale, um dos ícones da Enfermagem, escapou da TB. Ela contraiu a doença aos 30 anos de idade e não obstante chegou aos 90, trabalhando e lutando arduamente. Destaca-se pelo status profissional que concedeu a Enfermagem, tornando-a uma ciência. Um de seus maiores feitos foi à humanização dos hospitais onde os doentes viviam em condições totalmente precárias e desumanas. Florence desenvolveu uma enorme participação na luta contra a TB na Europa e na construção de hospitais específicos para os tuberculosos; divulgou em diversos países a concepção da cura sanatorial e melhorou as condições de internação dos doentes.
No início do século XIX, o senso comum elaborou uma visão romântica da doença. A tísica, nome dado na época seria a expressão física de uma interioridade rica em sentimentos conturbados sendo reconhecida no campo artístico e literário como a doença da paixão, tema este bastante recorrente para os escritores românticos; eram raras as obras literárias e artísticas que não incluíam tísicos entre seus personagens:

“Falar somente uma linguagem rouca,
Um português cansado e incompreensível,
Vomitar o pulmão na noite horrível
Em que se deita sangue pela boca!
Expulsar aos bocados, a existência
Numa bacia automata de barro
Alucinado, vendo em cada escarro
O retrato da própria consciência…”
Augusto dos Anjos.

A TB ao final do século XIX, deixa a concepção romântica dando lugar a sua representação no âmbito social. Passando de doença da nobreza para doença com maior prevalência na plebe. Enfim, no dia 24 de março – data passada – foi comemorado o Dia Mundial da Tuberculose.
Então, fiquemos com o Manuel Bandeira:

Pneumotórax
“… O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
Então, doutor, não é possível tentar um pneumotórax.
Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino”.

*Pequeno texto resumido e retirado da minha dissertação de conclusão de curso.
**Esse ano haverá o III Encontro Nacional de Tuberculose em Salvador – BA. De 18 a 21 junho de 2008.
Anúncios


Mal do dia seguinte
fevereiro 7, 2010, 11:01 pm
Filed under: Blog, Comportamento, Cotidiano, Imagens, Medicina

Beber além da conta e sofrer os desprazeres do dia seguinte. Isso te parece familiar? RESSACA, o mal do dia seguinte. Toda aquela sensação de mal-estar, tontura, enjôo, moleza no corpo, cabeça explodindo e uma sede quase insaciável, fazem você acreditar que nunca mais vai beber novamente.

Beber além da conta e sofrer os desprazeres do dia seguinte. Isso te parece familiar? RESSACA, o mal do dia seguinte. Toda aquela sensação de mal-estar, tontura, enjôo, moleza no corpo, cabeça explodindo e uma sede quase insaciável, fazem você acreditar que nunca mais vai beber novamente.

Seu corpo está debilitado, tudo porque nosso organismo gasta energia (glicose) para metabolizar o álcool. Glicose é açúcar e açúcar é energia, por isso ficamos fracos.

O excesso de álcool atinge o sistema nervoso central, provoca sono, irritação, dor de cabeça, irrita o aparelho digestivo (as mucosas de absorção), causando diarréia, náuseas, vômitos e também inibe a ação do hormônio antidiurético, causando sede e aquela sensação de boca seca.

O prejuízo não pára por aí. Quando bebemos excessivamente estamos mais propensos ao ganho de peso e acúmulo de gordura, principalmente na região abdominal (barriga de chope).

Nos casos mais graves o excesso de álcool causa dependência trazendo consigo outras complicações muito mais graves como o diabetes (tipo 2), úlcera no estômago, hepatite, depressão, lesão nos rins, etc. Assunto para outro texto.

Hoje o objetivo é driblar a ressaca. Segredinhos sóbrios.

Evitando

  1. Beber moderadamente, esse é o trunfo!
  2. Alimentar-se bem antes de qualquer bebedeira é fundamental. Tudo porque quando comemos e ficamos de “barriga cheia”, os alimentos dificultam a difusão do álcool para o intestino, onde ele é rapidamente absorvido, diminuindo a absorção pela corrente sanguínea e, consequentemente a sua chegada ao cérebro. Além do mais, barriga cheia não deixa muito espaço pra bebida.
  3. Diluir a bebida. Sim, use gelo! Outra dica é intercalar doses de bebidas alcoólicas e não-alcóolicas. Pode ser refrigerante. Refrigerantes são ricos em açúcares ajudam a metabolizar o álcool. O suco é bem mais saudável.
  4. Petiscar é bom. Frituras são fonte de gordura, retardam a absorção do álcool bem como os carboidratos. Alimentos como o queijo, castanha, amendoim, salaminhos, torradas, patês e principalmente as carnes que são fontes de proteína e de sal, facilitam a digestão do álcool. Esses são uma boa pedida. Mas cuidado! Não exagere nos salgados, já que estes intensificam a sede, dessa forma aumentando a ingesta da bebida, a não ser que a opção seja água, isso é bom.
  5. Bebida com cigarros não combina. Veneno para o corpo. Quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue e mais rápido se dá o processo de intoxicação.
  6. Proteja seu fígado. É ele que fabrica a enzima que digere o álcool e, quando sobrecarregado, produz uma toxina que causa dor-de-cabeça. Uma dica que funciona: azeite de oliva extravirgem. Um dia antes, despeje uma colher de azeite numa torrada e adicione pitadas de sal, acredite, a iguaria fica comestível

Aliviando

  1. Como a principal causa da ressaca é a desidratação. Beba água! Principalmente antes dormir, dessa forma enquanto você dorme seu corpo descansa e metaboliza o álcool mas rapidamente. E quando fizer xixi, tome mais água. O xixi nessa hora elimina todo o álcool ingerido. Sucos de frutas cítricas (laranja, acerola, laranja, abacaxi) são excelentes fontes de vitamina C. bebidas isotônicas são ótimas, tipo Gatorade, repõem todos os sais e minerais perdidos, bem como água de coco, riquíssima em potássio.
  2. Evite o “cafezinho forte” para curar ressaca. Muita gente não sabe, mas o café é bebida diurética, vai te deixar mais desidratado do que está.
  3. Consuma alimentos de fácil digestão: verduras, frutas e muito líquido.
  4. Alguns medicamentos ajudam mas não resolvem o problema: analgésicos (contra dor-de-cabeça), antiácidos (contra a azia e antiemético (contra enjôos).
  5. As células do nosso cérebro ficam ultra-sensíveis depois de uma bebedeira, por isso que a luz e o barulho incomoda bastante. Descanse. Evite luz e barulho. Tudo que queremos e que o nosso corpo deseja é recuperar as energias perdidas.

Trago uma receita de vó para driblar a ressaca:

Suco de Cenoura

Ingredientes:

  • 1 cenoura
  • suco de 4 laranjas
  • 2 fatias de abacaxi
  • ½ maço de salsinha

Modo de Preparo:

  • Bata tudo no liquidificador e sirva, rende 4 copos.